quarta-feira, 2 de setembro de 2009

ANA E UM HOMEM MAIS JOVEM, CLARO, QUE PODE.


Neste breve tempo, enquanto eles estavam se conhecendo e curtindo, ele perguntou pra ela como se sustentava sozinha porque o pai dele achava impossível uma mulher ser independente, sem ter um homem pra sustentar por trás, pode?

Que mentalidade preconceituosa e machista, como se nós, mulheres não somos capazes de muito mais do apenas nos sustentarmos e o nosso (s) filho (s).

Ana estava muito triste porque havia terminado um relacionamento, problemático, fazia pouco tempo. Numa tarde de sábado, ela foi assistir um filme romântico porém não conseguiu terminar de assisti-lo, de tanto que chorou.

Então tocou o telefone e era uma colega, depressiva também ... rs.

Convidou-a para ir num barzinho, onde só tocava samba (Ana detesta samba) mas não iria pagar nada, só o que consumisse. Ana exitou e disse que estava mal e a amiga retrucou dizendo que estava mal, também, então que ficassem mal; juntas... rs. Ok.

Então, convidou um casal de vizinhos, para se sentir mais segura pois sempre foi medrosa e fazia muitos anos que não saia. Foi com má vontade mas foi.

Olha os contratempos: Ana teve que emprestar dinheiro para os vizinhos pois não tinham para pagar, estava um frio terrível, uma fila enorme para entrar num lugar minúsculo, samba que detestava e ainda só pessoas com menos de 25 anos.

Ela se perguntou várias vezes: -o que eu vim fazer aqui? Não poderia estar em casa, cheia de cobertas, dormindo em paz?

Mas Ana estava lá e tem um lema em sua vida "se te dão limão, faça limonada". O jeito era esperar para entrar ...

Na fila, uns garotos estavam bebendo alguma coisa, na nossa frente. Foi quando uma amiga de Ana falou a ela que um deles não parava de olha-lá e que era bonitinho, fortinho, tinha uma tatuagem, etc. Isso, porque Ana não parava de reclamar e falar que ali era o "reduto de pivetada", estava se sentindo titia de todos...credo.

Ana observou bem e falou a ela: - É, verdade, não havia reparado, até que estou gostando do lugar ... e deram muitas risadas.

Eles fizeram amizade conosco, e ofereceram o que estavam bebendo na porta, uns outros garotos aparecerem pra furar fila e um deles, colocou o braço no ombro de Ana pra dizer que estavam juntos pra entrar e nada a ver. O menino era muito bonito, loiro dos olhos azuis mas muito babaca. Então, Ana pra sair daquela situação pegou no braço do "bonitinho" e entrou com ele, deixando o babaca pra fora.

Começaram a conversar e havia uma promoção de caipirinha, no local, então o rapaz, foi logo pedindo para tomarem e como ela estava péssima, tomou todas...rs.

Como sempre, Ana, é um fracasso para beber, basta alguns goles pra começar a rir, brincar e dançar; só alegria.

Aconteceu o primeiro beijo que foi perfeito e fazia alguns anos que ela não ficava com ninguém, a não ser o ex-namorado, que só aprontava.

Saíram do meio do barulho, ficando num corredor: beijando, bebendo e conversando.

Adivinha qual foi a primeira pergunta que o indivíduo faz a ela?

Quantos anos você tem?

Fora, que antes disso tudo, ele comentou a um colega, algo de Ana (não sabemos o quê), o outro comentou algo como: ela é mais velha que você e ele respondeu mas maduras são as melhores ...

Horrível ... Nunca fale isso pra uma mulher ou deixe que ela escute ... Ninguém merece.

Ele falou que ela tinha 20 anos e, como nunca gostou de mentir, falou que tinha 38 anos.

Tirando o samba, uma fumaça de cigarro e que ele fumava, estava tudo perfeito.

Ele, o "man ", era agradável, carinhoso, beijava bem (sem muita baba que acho nojento), conversava coisas legais e demostrou ser responsável pois tinha que trabalhar desde novo.

Num mundo onde a maioria dos homens não querem trabalhar, querem viver nas custas das mulheres ou outras situações cômodas. O que não faltam são homens mau caráter.

Então, ela matou a vontade de beijar e se excedeu na caipirinha. No fim da madrugada que foi pouca, (a maior parte do tempo foi passando frio numa fila) tocou um pouco de tecno e dançamos um pouco.

Ana, no começo reparou que o "man" estava de boné e uma hora tirou para ajeitar o cabelo que nem se mexeu ... rs ... nada contra.

Depois de várias caipirinhas achava o cara lindo mas não lembrava muito de sua fisionomia.

Passaram-se alguns dias e o "man" ligou no celular dela...ficou radiante com mas com receio porque não lembrava mais da cara dele ... rs.

Marcaram de sairem logo e convidou uma amiga porque se acontecesse algo de ruim teria alguém pra pedir socorro.

Acredito que se não foi a única, talvez uma das noites mais hilariantes que ela passou. Depois de tantos choros, nessa noite, ela riu tanto que ficou com os músculos doloridos do abdômen.

Saíram: ela, uma amiga, "o man" mais dois amigos dele que eram hiper engraçados. Ela não precisou de nenhuma gota de álcool para dar altas gargalhadas, de quase passar mal.

Aquele dia e os dois: Manézinho e Carlão, foi o máximo, pena que são momentos únicos e cada um toma o seu caminho ... nunca mais os vi.

Eles se encontraram, no meio da semana seguinte, pois ele estava de folga no serviço (trabalhava direto) mas logo foi embora, só pra matar a saudade, coisas de casais apaixonados.

Neste breve tempo, enquanto eles estavam se conhecendo e curtindo, ele perguntou pra ela como se sustentava sozinha porque o pai dele achava impossível uma mulher ser independente, sem ter um homem para sustentá-la, pode?

Ficavam falando pra ele tomar cuidado, que era perigoso andar com uma mulher mais velha pois ele era muito inocente. Cada coisa tão absurda!

Ana mandou levar o curriculum vitae dela para o pai dele porque desde os 27 anos que se sustentava sozinha por mais difícil que fosse, e o único homem que, às vezes, ajudava, era o seu pai.

Passou mais um final de semana e aconteceu ... Não preciso explicar ... Creio que já entenderam.

Ana se sentiu realizada pois "o outro" além de fazê-la sofre com traições e colocar-lhe só defeitos, era péssimo na cama, além de ser totalmente egoísta.

Já, "o man", era cuidadoso, preocupado em que ela se sentisse bem ou se estava gostando, o que ela queria que ele fizesse para agrada-la, tudo que uma mulher sonha que um homem faça.

(parece que os homens nascem sabendo tudo certo e com o passar do tempo, aprendem fazer tudo errado)

Homens para vocês: pensem mais na mulher amada do que em vocês, por favor. É, detestável homens, que estão com quem gostam e sentem nojo delas, ou ficam reparando em cada celulite ou defeitinho. A mulher se cobra o tempo todo e ainda vocês vêm querer fazer com que se sintam ainda mais mal? Por favor?

Ana tinha dificuldades de relaxar de tão complexada que ficou por causa que o "outro" dizia que ela não era bonita, que gostava de mulheres magérrimas, coisa que Ana, difinitivamente, não nasceu pra ser.

Mas imaginem o que aconteceu?

Ana ficou completamente apaixonada, coisa que não queria pois imaginou como seria daqui uns 20 anos, ela acabadona e o cara a mil por hora e depois trocaria por uma com metade da sua idade, coisa que todas mulheresm detestariam.

Me levou pra conhecer a família dele e passar o dia com ele. Foi perfeito, me trataram super bem.

Um casal lindinho, perfeito.

Íam ficar na casa de Ana, quando o "outro" do ex dela, apareceu com uma garota de programa, no carro, e ele na portaria do prédio, bêbado (pra variar) ameaçando e falando baixarias. Tudo isso, não por amor mas por machismo, porque alguém falou um monte na cabeça dele ou aquele pensamento: não quero pra mim mas não quero ela com ninguém.

Pra falar verdade, não dá pra entender muito a cabeça de quem é problemático, não é?

Bom, "o man", ficou assustado e foi embora contar pra família dele. Então, PROIBIRAM o namoro.

Terminou com ela por telefone e ela ficou arrasadíssima.

Explicou que o "outro" iria sumir, só fez isso porque ficou com o amor próprio ferido porque achava que ela era incapaz de arrumar outra pessoa e ficou sabendo que além de arrumar outro, ainda era bem mais jovem.

"O man"disse que nada mudaria o que aconteceu, que esfriou, acabou ... mesmo falando da maneira mais doce do mundo ... É uma das coisas mais horríveis de se ouvir.

Ela não se conformou pois estava tudo tão perfeito pra acabar de repente, sem ela ter feito nada.

Então, ela foi até o serviço dele como última alternativa (já havia ido uma vez durante o tempo de namoro) e acabaram ficando juntos mas foi mais uma despedida, do que qualquer outra coisa.

Ela pensou que poderia tê-lo como amigo, já, que se sentia muito sozinha e quem sabe passando com o tempo, poderia ser revertido essa situação.

Depois de uma semana chorando, chega a notícia que o pai de Ana morreu. Ela entrou em desespero ...


Adivinha qual foi a primeira pessoa que ela ligou?

Para "o man". Ele foi doce com ela mas nessas horas nada adianta.

Ele ficou de ir no velório mas não foi. Na mesma semana se encontraram, foram na tia dela e ele só sendo amigo, como sempre doce. Ela queria que rolasse um beijo mas não aconteceu.

Ela também tentou convencer a irmã dele que não havia nenhum perigo ou problema mas não adiantou.

Sabem aquelas pessoas que assistem desgraça na TV e acham que tudo pode acontecer?

Como eu ía provar que nada ía acontecer?

Enfim, acabou mesmo o que mal começou, sem ela ter feito nada, nada.

Tentou cativa-lo por um tempo mas veio mais uma entrometida (aquelas que não tem o que fazer e ficam cuidando da vida alheia) se intrometer, pedindo para ele não falar mais com Ana e acabar com as esperanças dela já que não gostava mais dela e foi o que aconteceu.

Sei que ela sofreu demais porque no momento que mais precisava de alguém, se viu sozinha. Ele poderia não significar nada pois o que é um mês de relacionamento?

Mas por tudo que ela havia passado e estava passando, ele era tudo que tinha momento não.

Havia deixado de lado sua fé pois orou tanto para o "outro" ficar bom e nunca aconteceu que resolveu beber todas, como se conseguisse ... rs.

Conseguiu superar depois de meses e pensou que se não deu certo, não era pra ser. Além disso como seria depois de muitos anos?

Teria que gastar horrores com plásticas pra conseguir um maridão e mantê-lo 18 anos mais novo?

Ela esperniou, brigou, escreveu um monte pra ele, mas foi só um modo errado de dizer: -Por favor, me ame, não me deixe.

Mas é muito humilhante e já havia se humilhado, feito de tudo e nada. É certo pagarmos pelos erros dos outros? Mas pagamos muitas vezes.

Tínhamos combinado de passar Natal e Ano Novo juntos e nada aconteceu.

Ana até que percebeu que estava tão mal emocionalmente que a melhor coisa a fazer era se cuidar, se tratar. Dedicar-se só pra ela mesma pois por muito tempo havia se deixado de lado.

Foi triste porque ela gostou de verdade dele. Infelizmente tem pessoas que julgam que mulheres depois de uma certa idade são resolvidas, espertas e cheia de maldades. Fantasiam tantas coisas.

Ela sempre foi sonhadora ingênua romântica, amorosa, só pensava em coisas boas e queria ajudar e fazer tudo de bom pra aquele "pivete" e foi senteciada, julgada, sem direito uma defesa por um dia ter gostado de alguém com problemas .. . isso é justo?

Nada foi justo mas não adianta ... simplesmente que o tempo passa e muda e tudo cai no esquecimento como tantas outras coisas na vida.

Se eu não colocasse esta historia aqui, ficaria guardada pra sempre dentro de mim ou de Ana, sem ninguém saber o que aconteceu ou servir para alguém que passou ou passa pela mesma coisa e que hoje, fica sabendo que não está só e pode contar comigo ...

Ela conheceu várias pessoas muito amigas que deram a maior força (precisamos uns dos outros) e principalmente, ela voltou para Deus (é o nosso tudo).

Procurou PROFISSIONAIS, QUE EM ABSOLUTO, NÃO TENHO NADA CONTRA AS PESSOAS E QUANDO ESTÃO FRACAS PRECISANDO DE MÉDICOS, Psiquiatras (QUE ANTES TINHA PRECONCEITO), PSICÓLOGOS, ETC.

Com o passar do tempo, TENDO esse momento de introspecção saudável, foi melhorando a cada dia, se refazendo, se redescobrindo, voltando a ser ela mesma e nem queria mais ninguém para namorar, casar pois queria estar, totalmente, foi inteira ... Quando conheceu seu melhor amigo, seu companheiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se vc já entrou aqui e me deu seu tempo; agradeço. Se deixou uma mensagem; me deixou alegre. Deus o abençoe...bjs.