quarta-feira, 17 de novembro de 2010

ONDE ESTA O BOTÃO: LIGA E DESLIGA?


Resolvi escrever neste blog porque é menos visto do que o outro e estou cheia de pessoas que não querem meu bem ou querem a sua maneira, ficarem lendo...não tenho acesso a quem lê mas o meu blog é meu canto, minha vida, o que sinto e penso, se eu não puder ter essa liberdade...

Em janeiro de 2008, estava no ápice de uma crise emocional mas com motivos, não do nada. Para uns é frescura, para outros não tem tanto motivo, para outros...etc...cada um tem seu achometro.
Eu resolvi unir todo tipo de ajuda possível: psiquiátrica, psicológica e buscar muito o Senhor através de oração e ouvir a Palavra.

Nesses momentos, não temos forças para orar, andar, ler, viver...por isso o nome do meu primeiro blog é estar viva em vida porque muitas vezes, inclusive esses dias me sentia morta mas respirando.

O por quê?

Primeiro houve um histórico de vida cheio de traumas e rejeições. Falta de uma família estruturada, amor, atenção, etc. Graças ao Senhor que me deu livramento de drogas porque na adolescência andava direto com drogados mas era sempre a "careta" da turma, algo que na época eu não gostava, hoje, agradeço a Deus, muitoooo.

Segundo houve um histórico de namoros, noivados e casamentos que me fizeram sofrer de uma forma ou de outra.

Votando a janeiro de 2008: fazia pouco tempo que meu pai havia morrido (só dependia dele emocionalmente pois não me ajudava e nem tinha aquele amor de pai e filha mas pelo menos me ligava quando sumia e me dava remédio quando doente...não posso esquecer que me ajudou com um apto. todo quebrado na boca do lixo para eu morar e agradeço).

O meu último namorado me fez de gato e sapato: traições, terminava e voltava todo mês, mostrava foto com outras, gostava de garota de programa, me humilhava, rejeitava, etc...mas quando estava junto me tratava como princesa, hiper carinhoso, brincalhão, fazia comida mas a maioria pensava, totalmente, errado: achavam que ele estava comigo para se aproveitar sexualmente e me ajudava financeiramente.
Ele nunca queria se relacionar sexualmente comigo, podia passar dias e dias e financeiramente, mesmo estando na minha pior fase financeira, ainda arrumava recursos pra ajudá-lo mas fui julgada, condenada, etc., nunca tive valor ou consideração.

Nessa época, ele me deixou mais uma vez por outra mas sabia que depois ele voltava pra mim, como sempre voltou...mas não queria mais isso; ficar em "stand by".

Fui fazer meus tratamentos porque só chorava. Ía trabalhar chorando e tomando Rivotril para conter as lágrimas pois precisava de emprego pra sustentar meu filho, sozinha.
Só eu sei o que passei...e todos me julgam como conhecimento de causa ou falam pra esquecer, é passado...EU SÓ QUERO SABER ONDE ESTA ESTE BOTÃO DE LIGA E DESLIGA?

Em maio de 2008, comecei a namorar com um amigo que foi muito atencioso, companheiro e me aceitou chorando direto por outro e outras coisas. Só que no ano novo de 2009, ele mostrou um lado dele que desconhecia: um ser explosivo, grosso, etc.

Meu pior ano novo, foi quando passei na igreja chorando enquanto o meu ex., se divertia num flat com piscina, com a primeira garota de programa que fiquei sabendo, fora as que eu nunca soube.

O segundo pior ano novo foi esse, com quem eu achava que jamais iria fazer mal pra mim e meu filho, ficou 7 meses se mostrando um doce de pessoa e neste dia, só porque meu filho lambeu um prato escondido; ele começou a nos ofender tanto e nos humilhar na frente de amigos dele que mal conhecia...eu só chorava e não acreditava no que estava acontecendo...ele não.

Pediu perdão e disse não saber o que aconteceu porque nunca havia feito isso...mentira...pois depois fez coisas parecidas até hoje...nunca parou...pede desculpas e faz de novo.

Ainda se acha melhor porque não me trai e nem é drogado ou alcoolatra como os outros ( e nem espancador de mulher como o tal de tonho). Quer dizer que por isso tenho que aguentar grosserias e estupidez?

Como só havia acontecido uma caso esporádico, voltamos, não porque era apaixonada ou morria de amor mas porque me parecia o menos pior. Passado um tempo, disse que havia se convertido e me pediu em casamento...fiquei feliz, pensando que ele me amava com meu filho pois não sou sozinha.

Um pessoal que queria ter uma igreja jurídica, incentivou e achou que ele me amava mesmo e eu que era ruim com ele porque chorava pedindo para perdoar o ocorrido no ano novo. Eles podem até levar no currículo deles que fizeram um casamento e aí?

Fazia terapia e dizia a terapeuta que não queria casar pois ainda amava outra pessoa e ela falava que era uma doença, uma ilusão, que amava alguém que nunca existiu e só me fez mal...concordo.
Mas mesmo assim, não justifica eu casar com quem eu não amava e nem era apaixonada. Eu falava que não sabia o que queria, estava confusa.
Tomava uns 3 remédios psiquiátricos, no meio de um tratamento, como saberia descidir sobre algo tão importante?
Como comecei a terapia pedindo que queria me libertar do meu ex. porque ele que me deixou doente, acho que ela achou que me casando, me livraria do pior: o tal "ex".

Passado 2 semanas de casados, sem lua de mel, sem amor, beijinhos, romantismo, ou qualquer forma de afetividade a não ser me levar de um lado para o outro quando preciso de companhia...foi novamente grosseiro, na frente dos mesmos amigos ainda por causa de meu filho e comida...ABSURDO.

EU SEMPRE SUSTENTEI MEU FILHO SOZINHA DIGNAMENTE, GANHANDO POUCO, ME SUBMETENTO A HUMILHÇÕES E NUNCA DEIXANDO NADA FALTARA A ELE E AGORA VOU ARRUMAR UM MARIDO PARA ME HUMILHAR E MEU FILHO POR COMIDA?

MEU FILHO JÁ TEM UM PAI QUE É UM LIXO E PESSOA E É SOBERBO, SE SENTE O MÁXIMO COM ROUPAS DE MARCA, COME EM LUGARES BONS, VIAJA ENQUANTO O FILHO NEM PENSÃO GANHA...É LIXO OU NÃO É?

Aí começou a sessão: desculpa, nunca mais vou falar assim...passa um tempinho e faz pior, melhor mas faz.

Então pedi para fazer o curso de casados pra ver se tudo mudava...foi passando as semanas e nada...eu só chorava porque nada mudava: ele é co-dependente da mãe com deficiências especiais, sem perspectativas, sonhos, sem objetivos, sem afetividade, sem beleza externa, companheiro, prestativo, fiel, acomodado, tem um grau de intelectualidade razoável, mas não sabe falar as coisas, vêm com grosserias e tons ásperos do nada e por nada, enquanto você fica parada sem saber o que esta acontecendo.

Quem é louco tem que se tratar...apesar que quanto mais conheço as pessoas mais loucura eu vejo e eu que me achava louca, vejo que sou normal porque consigo enxergar o que os outros não veem.

Ficamos separados 2 dias, voltamos. Durante o curso, ficamos separados 5 dias e ele insistiu e prometeu tanto que nunca mais me trataria mal e iria orar muito comigo e voltamos.
Dei testemunho que o Senhor estava conosco fazendo maravilhas e que ele estava tomando consciência de tudo que precisava mudar e tudo estava melhorando...comecei a tratá-lo como queria ser tratada mas aos poucos porque ainda estava magoada, pra ver se ele conseguia ser uma pessoa carinhosa.
Comecei a ensinar tudo a ele: explicar a Palavra, como orar, como ser afetuoso, ser mais sociável, andar de cabeça erguida, etc...
E, comecei a exigir que ele assumisse o casamento, inclusive as contas básicas e colocar comida dentro de casa ou me deixasse em paz.

Faltando 3dias para formatura do curso de casados, onde estávamos todos felizes, pela transformação do nosso relacionamento e que ele havia me prometido que iria mudar da casa da mãe para nossa casa porque nunca havia feito isso em um ano e dois meses de casados. Falou que na sexta-feira, poderia fazer até uma vistoria pois iria sair da casa da mãe e depois arrumar um emprego para sustentar a família. Afinal, foi ele que quis casar comigo e não eu que pedi.

Um homem quando pedi uma mulher em casamento deve ter em mente que tem que assumir esse compromisso financeiramente e emocionalmente e não fica em cima do muro.

Bom, meu filho fica com o pé esquerdo inflamado e muito feio e íamos levá-lo ao pronto socorro, foi quando ele pediu para ver o pé e disse que parecia furúnculo e eu disse que não pois já tive e não fica assim.
Do nada, ele me mandou calar a boca e que eu sempre sabia tudo mesmo, que ficava corrigindo ele na frente do menino...eu falei só que não era furúnculo mais nada e parei por aí.

Não falei mais com ele e começo a sentir muita raiva pois prometeu o que não cumpriu: não ser mais estúpido comigo gratuitamente.

Eu havia pensado que a formatura fosse o nosso verdadeiro casamento pois até o momento nunca senti um lar, uma família, um casamento.

Ele prometeu mudar da casa da mãe para nossa...não cumpriu.
Ele prometeu não ser mais grosseiro comigo.......não cumpriu.
Prometeu ser afetuoso e pagar as contas...............não cumpriu.
Etc...

Estou desde este dia, chorando e me sentindo morta por dentro...sonhei que poderia ser diferente porque já não amo e nunca amei, só meu filho. Já me apaixonei muitas vezes e a última me deixou doente a ponto de não conseguir ter controle do meu corpo e emoções.
Pensei que pudesse ser diferente.

Agora, eu sou culpada de tudo: culpada porque se eu separar tenho que ficar sozinha pelo resto da vida se não me torno adúltera.
Culpada porque não tenho o amor que tudo suporta e fica amando...esse eu tive pelo meu ex e quase me matou...e tem o GRUPO MADA DE MULHERES QUE AMAM ASSIM E PRECISAM DE TRATAMENTO PORQUE ATÉ SE MATAM PELO AMOR QUE TUDO SUPORTA...tudo tão lindo na teoria....

Tenho a escolha de ficar, pelo resto da vida com um motorista prestativo que me ajuda quando fico doente mas desprovido de sonhos e amor, ou ficar sozinha e ainda sem motorista para me levar onde preciso...o pior: corro o risco de me apaixonar por um cafajeste (que parece ter imã para isso e me roubar) ou um ex., me jogar um monte de mentiras na cabeça e me manipular para eu servir de muleta pra ele terminar o namoro com uma desiquilibrada...sendo que não tenho nada a ver com isso.

Talvez o lugar que estou não seja o mais confortável e muito menos sonhador, com cores, borboletas, amor, beleza mas pelo menos é o mais seguro para não correr riscos piores, com pessoas piores.
Pelo menos, ele é bom caráter, não me rouba,não pede dinheiro emprestado, não sacaneia, não menti, não trai, não agride fisicamente mas é grosso e ciumento.

E, assim, vou envelhecendo, perdendo a beleza da juventude e respirando até meu dia chegar e não perder a salvação em Cristo...

Se eu tenho que viver assim porque assinei um papel achando que estava fazendo o melhor para mim e meu filho, casando com alguém bom caráter mas grosso e rude, a culpa é minha...mesmo em tratamento, não justifica...agora tenho que acertar e aceitar viver com essa penitência de morte para conseguir a vida eterna...não existe base bíblica do contrário.

O meu marido me perguntou se eu queria tanto uma família por que Deus não me deu, se fiquei tanto tempo sozinha?

Também, gostaria da resposta.

Quando o homem não era feio demais, era burro ou não era cristão. Parece que nunca teve um homem que fosse parecido comigo tanto na aparência como no intelecto e quanto mais ainda na fé.

Vejo raros homens bonitos cristãos e os raros casados, o resto...é o resto ou jovens demais...sobra os não cristãos. Os bonitos querem todas e os feios agarram e não soltam mais...sei lá, Deus é quem sabe.

Meus exs., são uns lixos...se alguém tiver algo para acrescentar...

Estou sem cabeça pra nada. Para as pessoas da igreja, fizeram tudo que puderam e se não ficarmos casados estamos em pecado...para nós estamos empurrando com a barriga...ver como esta para ver como fica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se vc já entrou aqui e me deu seu tempo; agradeço. Se deixou uma mensagem; me deixou alegre. Deus o abençoe...bjs.