quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

EU FALANDO DE AMOR DE NOVO...


Eu li no livro que estou lendo agora, uma explicação sobre a diferença sobre amor e paixão: amor é você sentir aquele sentimento forte mas conseguir viver sem a pessoa e a paixão é quando fica desesperada o tempo todo querendo aquela pessoa. O pior é quando esse sentimento doentio perpetua por anos e você não consegue fugir dele.

E, realmente, quando passa disso é qualquer coisa, menos amor por isso não gosto de músicas que falam de amor com sentimentos de paixão.

Aline Barros em um de seus louvores, no começo de sua carreira solo descreveu assim: "o amor só conhecia em canções que falavam de ilusões".

A paixão nos faz sentir mais vivos mas também, não vivemos mais nossas vidas e sim a vida do outro.
É uma simbiose terrível. Você não consegue fazer mais nada porque pensa naquela pessoa com insegurança o tempo todo e mesmo só trazendo sofrimento, quer ficar com ela a todo custo...senti isso muitas vezes e o pior, gostava disso...horrível...ainda bem que me libertei disso.

Acho que orei tanto a Deus e fui buscar ajuda, como terapia que hoje, consigo viver com ou sem alguém do meu lado e tenho minha vida, identidade, personalidade, compartilhada com o outro e não vivendo a vida do outro e esquecendo a minha.

Acredito que estou aprendendo a amar pois aprendi a me amar.

Continuo querendo emagrecer e fazer academia mas por mim e não para ninguém. E, se alguém vê algo errado comigo, problema é de quem vê e não meu.

Eu não sou perfeita e nem meu amado é perfeito. Somos muito parecidos e ao mesmo tempo muito diferentes. Tem coisas tão iguais e outras tão diferentes mas acredito que se fosse tudo tão igual, seria chato.

Ele pode comer dia e noite e não engorda e eu não posso ver comida que engordo... sorte dele.

Estou aprendendo a lidar com isso: amor.

As pessoas falam de amor fraternal e isso eu sinto, amor materno, infinito, agora amor de homem-mulher sempre foi uma incognita pra mim pois como escrevi anteriormente, conheci o que é paixão e amizade mas amor, talvez, esteja tendo oportunidade agora.

Costuma pregar o amor Ágape que é o amor sublime, o amor de JESUS CRISTO POR NÓS, como amor de um casal...ABSURDO.

Nunca vou concordar que a mulher pode sofrer violência de qualquer tipo por um homem corruptível.
Em nome desse amor doentio que não é amor, quantas mulheres estão sendo mortas?

O amor não se impõe, existe por si mesmo...ou não é amor.